Close
Rua Augusto Severo, 1157, Centro Cívico, Curitiba (PR)
(41) 3352-6741 WhatsApp: (41) 99763-1965 E-mail: centrocivico.pr@metododerose.org

Tiger Woods afirmou certa vez: “Eu tive sorte, mas só depois que passei a treinar dez horas por dia”. E tinha razão, afinal, é considerado um dos melhores golfistas de todos os tempos.

Steven Kotler, escritor e jornalista, autor do livro Super-Humanos – como os atletas radicais redefinem os limites do possível, comenta: “Ao longo das últimas três décadas, homens e mulheres têm levado o desempenho físico a um nível de excelência jamais visto. (…) Ao contrário do que se pensa, não há uma diferença essencial entre um superatleta e uma pessoa comum. Os dois nasceram iguais. No entanto, o primeiro se habituou a cultivar um estado de consciência capaz de ajudá-lo a acessar seu máximo potencial e fazê-lo aprender mais e em menos tempo”.

Dentro do DeROSE Method – “coisa de homem”, concorda-se que esta mesma “sorte” também provêm de um treinamento constante, neste caso em se tratando das técnicas de tônus muscular e flexibilidade, onde gradativamente programamos nossa mente e emoções para reagir de forma determinada, no que concerne as práticas mais desafiantes.

E vamos além, queremos que esta mesma atitude de conquista que obtemos em sala de aula, a partir da autossuficiência, disciplina e decisão, reverbere em nossas ações diárias. Isso é alta performance!

O Instrutor e demonstrador profissional do DeROSE Method, Rafael Ramos, nos sugere o seguinte:

“Parte da evolução começa com uma nova interpretação. Sabe aquele momento em que você está fazendo uma permanência mais longa e o músculo começa a “reclamar”? Pausa para relembrar os sintomas desse momento:

– Filete de suor começando a escorrer pela face esquerda;
– Musculatura exigida apresentando leves tremores;
– Leve dúvida se valeu mesmo à pena deixar o Faustão e a agradável companhia do seu sofá;
– Expressão facial não apresentando um sorriso tão angelical e sincero;
– A primeira coisa que vem na cabeça de qualquer aluno é: – Maravilha, usarei a regra de segurança, “esforce-se sem forçar”.

O que acontece é que muitas vezes essa não é a decisão mais sábia a se tomar, se sua intenção é otimizar o tempo: fazer mais com menos.

Desde a época em que era aluno, sempre me perguntei sobre qual era a real aplicação dessa regra. A resposta veio depois de um tempo, é simples: você só irá usá-la se sentir que o estímulo está ferindo seu corpo.

A dica que dou aos meus alunos é de mudar a interpretação. Quando aqueles sintomas surgirem em uma permanência mais longa, pense que o seu corpo está se desenvolvendo, que está ficando mais forte e flexível, sorria e atrele o desafio da permanência a algo prazeroso, afinal, se você está se aprimorando, essa sensação pode se vista de uma forma agradável. Faça o teste e depois me conte como foi!”

Sua atitude perante a prática condiz com a sugestão acima? Se sim, ótimo! E lembre-se: pode ficar ainda melhor com alta performance!

Aos que, a partir de agora, almejam valorizar mais seus treinos mediante esta postura, busque agir em ritmo DeRose. Nada fica para depois. Afinal, se você “dormir no ponto” daqui a um ano vai desejar ter começado hoje!

alta performance

 

 

Deixe um comentário

comentários

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *